• Blog
  • Você sabe o que é acuidade visual? Confira aqui!

Você sabe o que é acuidade visual? Confira aqui!

Você sabe o que é acuidade visual? Confira aqui!

A acuidade visual é um exame realizado pelo médico oftalmologista que estima a função da região central da retina, chamada mácula.  Portanto, a partir da sua medida podemos saber como esta a percepção de detalhes e capacidade de leitura do paciente.

Para isso, os testes devem ser realizados de forma independente, um olho de cada vez. Trata-se de uma medida estática simples, mas que demonstra como os olhos, de modo independente um do outro, percebem e diferenciam a forma e o contorno das coisas. Assim, quanto maior a acuidade, maior a nitidez da visão.

Continue a leitura e saiba mais sobre a acuidade visual e sua importância.

Quais os exames envolvidos e como é feita a avaliação?

Existem duas maneiras básicas para se aferir a acuidade visual. A mais simples é a utilização da Tabela de Snellen, com várias linhas compostas por letras de tamanhos dierentes, que diminuem conforme o exame progride.

Nesse teste, a pessoa é colocada a uma distância padrão (em geral de 6 metros) e deve indicar até onde consegue ler com facilidade, com cada olho. A relação entre a distância e a linha alcançada com nitidez representa a acuidade visual daquele olho.

A forma de escrever mais comum no Brasil segue o padrão americano, sendo feita em forma de fração, onde o numerador corresponde a distância em que o paciente encontra-se da tabela, portanto 6 metros (ou 20 pés no sistema de medida americano), e o denominador corresponde a distância em que aquela letra pode ser enxergada por um indivíduo normal.

tabela de snellen

Tabel de Snellen para medida da acuidade visual.

Por exemplo, observemos a 1a letra da tabela (linha 1)acima que corresponde a 20/200, significa que se o paciente consegue ler apenas aquela letra ele possui naquele olho uma acuidade visual de 20/200, ou seja ele enxerga a 20 pés (6 metros) o que uma pessoa normal enxergaria a 200 pés, ou 60 metros.

Em outro exemplo, se a pessoa lesse a linha 5, ou seja, el teria acuidade visual de 20/40 neste olho, portanto ele enxerga a 20 pés (6 metros) o que uma pessoa normal enxergaria a 40 pés, ou 12 metros.

Outro forma de medir a acuidade, é através de um exame chamado PAM (Medida do Potencial de Acuidade). É comumente utilizado em pacientes com baixa acuidade visual, e queremos saber se há uma boa função da mácula. pode ser utilizada antes de cirurgia de catarata ou transplante de córnea. Neste exame, a tabela de letras é projetada diretamente no fundo do olho, por meio de um aparelho que faz uso de um laser. Para esse fim, é feita a dilatação da pupila com colírio antes da avaliação.

Qual a diferença dos resultados na tabela e no aparelho?

O teste de acuidade visual feito com a tabela é bem simples de ser realizado e não requer grandes aparatos de equipamento. Portanto, sua realização é mais fácil e mais barata, porém existem algumas doenças onde não é possível determinar a “localização” da lesão que está causando baixa visual, por exemplo, se um paciente tem catarata e doença da córnea.

Nesses casos, o exame de PAM é necessário em razão da maior exatidão de seus resultados. Com isso, há maior chance de definir o prognóstico do paciente e determinar qual a chance de ele recuperar a visão após uma cirurgia, por exemplo.

Qual é a importância do exame?

A avaliação da acuidade visual é uma parte fundamental e essencial do exame oftalmológico, consiste no 1o passo da consulta oftalmológica. A medida da acuidade deve ser  feita em praticamente todas as consultas e doenças oculares.

Dessa forma, a ida regular ao oftalmologista e a realização de uma avaliação da acuidade visual devem estar incorporadas aos hábitos de manutenção e cuidados com a saúde.

Gostou deste post? Assine nossa newsletter e garanta a informação necessária para estar sempre em dia com a saúde dos seus olhos.

Avatar

Prof. Dr. Alexandre Rosa

Formado em Medicina pela Universidade Federal do Pará (UFPA) e doutorado em Oftalmologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Membro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia e da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo. Especialista em doenças da retina e vítreo pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Professor de Oftalmologia da Universidade Federal do Pará.

Participe do grupo exclusivo no telegram sobre doenças visuais.

Quero Participar!
Open chat
Olá...Posso ajudar?