• Blog
  • Conheça 6 tipos de lente intraocular e como escolher a melhor

Conheça 6 tipos de lente intraocular e como escolher a melhor

Conheça 6 tipos de lente intraocular e como escolher a melhor

Saber escolher entre os diferentes tipos de lente intraocular é tão importante quanto decidir realizar a cirurgia de catarata, já que a qualidade da visão que o paciente poderá ter após esse procedimento vai depender da lente colocada em substituição ao cristalino que é removido na cirurgia.

Diferentemente de óculos, que podem ser trocados, a lente é implantada objetivando proporcionar uma melhor qualidade à capacidade visual de forma definitiva, não sendo recomendável nenhum tipo de troca.

Para ajudar nessa escolha, vamos abordar a importância das lentes intraoculares, comentando sobre as suas funções, seis principais tipos e como escolher as melhores. Continue lendo para saber mais!

Importância das lentes intraoculares

As lentes intraoculares (LIO) são implantadas em substituição ao cristalino humano, que fica opaco em decorrência da catarata. Para que uma lente consiga imitar as suas funções, proporcionando uma visão nítida, são realizados vários cálculos que analisam o trajeto do raio de luz dentro do globo ocular, visando uma perfeita adaptação ao olho do paciente.

Atualmente, há vários tipos de lentes intraoculares que permitem corrigir outros problemas oculares além da catarata, como a hipermetropia, a miopia, o astigmatismo e a presbiopia (ou vista cansada), possibilitando, em muitos casos, a independência definitiva dos óculos.

Materiais das lentes intraoculares

Os diferentes tipos de lentes podem ser classificados como tóricas e não tóricas. A principal diferença entre elas são os graus de astigmatismo que podem corrigir. Quanto ao material, elas podem ser rígidas ou flexíveis.

Lentes rígidas

A lente rígida (não dobrável), embora seja elaborada com qualidade, exige que a abertura realizada nos olhos durante a cirurgia seja aumentada de 3 à 7 mm, dependendo de cada caso. Como essa abertura não é auto-selante, é necessária a realização de uma ou mais suturas no olho para a vedação. Isso provoca uma indução do astigmatismo, exigindo maior grau de óculos após a cirurgia.

Além disso, é importante observar que quanto maior for a abertura realizada no olho, maior será o risco de infecções e mais demorado será o tempo para a recuperação pós-operatória.

Lentes flexíveis ou dobráveis

Essas lentes são desenvolvidas com um tipo de acrílico flexível que permite que elas sejam dobradas e injetadas no olho por meio de um instrumento que se assemelha a uma seringa de ponta fina.

Diferentemente da rígida, esse tipo de lente pode ser introduzido por uma abertura de 2 a 3 mm na córnea, inicialmente realizada no processo da cirurgia de catarata, não necessitando ampliar essa incisão. Por ser uma abertura de tamanho microscópico, ela é auto-selante, dispensando a necessidade de suturas na córnea.

Além disso, as lentes flexíveis proporcionam uma recuperação pós-cirúrgica mais rápida e melhor para a saúde dos olhos. Veja a seguir seis diferentes tipos de lentes.

Tipos de lente intraocular

1. Monofocais não tóricas

As lentes monofocais não tóricas são os modelos mais utilizados apesar de não serem indicadas aos pacientes com astigmatismo. Elas corrigem graus de miopia, astigmatismo hipermetropia, melhorando o foco apenas para longe. Após a cirurgia, o paciente pode precisar de óculos para perto.

2. Monofocais tóricas

As lentes monofocais tóricas são consideradas de alta tecnologia, pois corrigem de maneira eficaz os casos de astigmatismo maior que um grau devido à sua curvatura diferenciada. Entretanto, assim como as lentes não tóricas, esse modelo melhora a visão para longe e pode ser necessário o uso de óculos para enxergar de perto.

3. Multifocais

Tóricas ou não, as lentes multifocais são elaboradas com alta tecnologia que corrige ao mesmo tempo a visão de longe, intermediária e de perto, proporcionando uma maior independência visual aos pacientes. Para algumas situações de leitura, ou dependendo da necessidade do paciente, poderá ser necessário o uso de óculos, mas com menor frequência. São lentes indicadas em casos selecionados à critério do médico oftalmologista.

4. Multifocais acomodativas

As lentes multifocais acomodativas apresentam propriedades diferenciadas que imitam a fisiologia e a anatomia naturais do cristalino, uma vez que permitem movimentos e acomodações de acordo com os estímulos do músculo ciliar. Desse modo, elas conseguem adaptar a visão com focos para longe e para perto.

5. Monofocais esféricas

Considerada a lente mais simples para ser implantada na cirurgia de catarata, ela consiste em uma lente com óptica normal, que foca os raios de luz em um único ponto, corrigindo apenas a hipermetropia ou a miopia.

Assim, há uma grande probabilidade de ser necessário utilizar óculos de grau após a cirurgia. Isso ocorre porque a lente tem irregularidades em sua periferia, impedindo uma qualidade maior de visão.

6. Monofocais asféricas

Essa lente é confeccionada com alta tecnologia para corrigir a miopia e a hipermetropia, bem como aberrações ópticas oculares de alta complexidade.

Trata-se de uma evolução na qualidade das lentes, pois não apresenta irregularidades na periferia, melhorando muito o contraste de cores e a visão noturna.

Entretanto, por ter apenas um foco, ainda apresenta uma grande probabilidade de o paciente necessitar de óculos de grau para perto ou longe após a cirurgia.

Aspectos a serem considerados na escolha

Em geral, a escolha do tipo de lente intraocular é feita entre o paciente e o cirurgião. Nesse sentido, o estilo de vida do paciente é determinante na escolha das lentes, já que elas poderão corrigir erros refrativos também. Desse modo, é importante considerar as necessidades individuais e analisar qual dos tipos disponíveis consegue atender melhor determinada situação.

Além disso, é essencial realizar o procedimento em uma clínica oftalmológica de qualidade. A RetinaPro oferece um atendimento qualificado, com equipamentos de última geração e uma equipe especializada, sempre pronta a atender as necessidades dos pacientes.

Como mostramos, ao optar por um dos tipos de lente intraocular, o paciente está definindo como quer enxergar para o resto da sua vida. Daí a importância de conhecer em detalhes todas as possibilidades para enxergar da melhor forma possível. No mais, é essencial realizar o procedimento em uma boa clínica oftalmológica.

Essas informações foram úteis para saber como escolher uma lente intraocular? Caso tenha restado alguma dúvida ou você queira mais informações, entre em contato conosco!

Avatar

Prof. Dr. Alexandre Rosa

Formado em Medicina pela Universidade Federal do Pará (UFPA) e doutorado em Oftalmologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Membro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia e da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo. Especialista em doenças da retina e vítreo pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Professor de Oftalmologia da Universidade Federal do Pará.

Deixe um comentário