• Blog
  • Como as doenças reumáticas podem afetar os olhos

Como as doenças reumáticas podem afetar os olhos

Como as doenças reumáticas podem afetar os olhos

As doenças reumáticas, popularmente conhecidas como reumatismo, são um grupo de patologias que acometem o sistema locomotor, ou seja, as articulações, os ossos, os músculos, os tendões e os ligamentos.

No entanto, algumas doenças reumáticas também comprometem outros sistemas, como o cardiovascular, o renal e o respiratório, a pele e, até mesmo, a visão.

Existem mais de 100 doenças reumatológicas descritas, sendo que as mais conhecidas são artrose (ou osteoartrite), artrite reumatoide, gota, febre reumática, tendinite, bursite e osteoporose.

O objetivo deste post é esclarecer como esse grupo de doenças pode afetar a visão e alertar sobre os seus sintomas. Afinal, conhecer os sinais é fundamental para evitar sérias repercussões para a saúde ocular. Confira!

Quais as doenças reumatológicas que afetam a visão?

Existem algumas doenças reumáticas que acometem os vasos e as estruturas responsáveis pela visão.

A doença reumática mais prevalente na população é a artrite reumatoide, patologia que causa inflamação das articulações e sua destruição.

O portador de artrite reumatóide pode ter manifestações oculares inflamatórias durante o curso da doença, pois na mesma são formados anticorpos que atacam o próprio organismo.

Além disso, as medicações usadas no tratamento, como a hidroxicloroquina e a cloroquina, podem ter implicações negativas na visão.

Portanto, o paciente com artrite reumatoide deve realizar acompanhamento oftalmológico regular a cada 6 meses.

Outras doenças que causam manifestações na visão são o lúpus eritematoso sistêmico e a síndrome de Sjorgen, que cursam com olho seco.

Além disso, podemos citar a espondilite anquilosante, síndrome de Behçet, polimialgia reumática e a síndrome de Reiter como outras patologias que comprometem a saúde ocular.

Como é esse acometimento?

Na artrite reumatoide, o organismo cria anticorpos contra os tecidos conjuntivos do próprio corpo. Ainda não se sabe claramente qual é o motivo dessa disfunção, mas ela também acontece em outras patologias autoimunes.

Os tecidos conjuntivos estão presentes nas articulações, em tendões, nos ligamentos, nas cápsulas envolvendo os tecidos e nos tecidos de sustentação dos órgãos. Esse tipo de tecido também é importante no sistema ocular, pois constitui e envolve os olhos.

Quando os anticorpos atacam a esclera (a parte branca do olho), o paciente desenvolve a esclerite, uma inflamação nesta região que é caracterizada por vermelhidão, dor, inchaço local, diminuição da visão e, algumas vezes. a presença de um nódulo.

Outra manifestação da artrite reumatóide nos olhos é a episclerite, caracterizada pela inflamação da episclera, um tecido conjuntivo vascular e denso que recobre a esclera. Normalmente essa condição é menos grave que a esclerite e se manifesta com vermelhidão e ardor ocular.

Como é o tratamento indicado?

Como a causa dos acometimentos acima é a inflamação, é preciso combatê-la. Nesse caso, é necessário procurar um oftalmologista, para que a doença seja tratada precocemente e não haja repercussões.

Os medicamentos usados são os anti-inflamatórios, que podem ser prescritos por via oral ou tópica (colírios).

As doenças reumáticas acometem grande parte da população e podem prejudicar a visão. Dessa forma, se houver desconforto nos olhos ou alguma dificuldade para enxergar, deve-se procurar o médico oftalmologista rapidamente, principalmente se o paciente já souber que é portador de doença reumática.

E então, entendeu como as doenças reumáticas podem acometer a visão? Assine a nossa newsletter e receba em seu e-mail artigos exclusivos sobre saúde ocular!

Como as doenças reumáticas podem afetar os olhos
3.7 (73.33%) 3 votes

Posts relacionados

Dr. Alexandre Rosa

Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Pará (UFPA/1996) e doutorado em Oftalmologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP/2005). Especialista em doenças da retina e vítreo pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

Deixe um comentário