• Blog
  • Exame de vista e carteira de motorista: Como passar!

Exame de vista e carteira de motorista: Como passar!

A relação entre exame da vista e carteira de motorista é fundamental para a segurança no trânsito. Afinal, ter uma boa visão inclui enxergar com nitidez, com um bom campo visual e distinguir bem as cores.

Segundo especialistas em medicina do trânsito, o uso de óculos desatualizados é um dos fatores que contribuem para o crescimento de acidentes. Isso porque a maioria das pessoas só faz exames oftalmológicos quando precisa renovar a carteira de motorista.

Pensando nisso, explicaremos neste artigo como funciona o exame para tirar ou renovar a carteira de motorista, quais são os aspectos analisados por ele e qual é a sua importância, de modo geral. Continue lendo para saber mais!

A relação entre exame de vista e carteira de motorista

Segundo o especialista Leôncio Queiroz Neto, perito em medicina do trânsito e membro da ABRAMET (Associação Brasileira de Medicina do Tráfego), a dificuldade para enxergar triplica a probabilidade de ocorrer acidentes, tendo me vista que 85% da interação das pessoas com o meio ambiente depende da visão.

De acordo com o perito, um motorista com 100% de visão que dirige em uma estrada a 90 km/h, por exemplo, dispõe de 3,2 segundos para processar as informações de uma placa de sinalização. Já para quem enxerga apenas 66%, essa leitura tem que ser feita em 2,5 segundos — com 50% de acuidade visual, o tempo necessário para ler as instruções cai para 1,6 segundos. Justamente por isso, é imprescindível manter os exames oftalmológicos em dia.

Alterações no grau de lentes

Também é importante observar que as alterações no grau dos óculos ou lentes de contato ocorrem de forma lenta, podendo passar despercebidas. Por esse motivo, as pessoas que com visão próxima aos limites estabelecidos pelo Detran correm maior risco de reprovação no exame de renovação da CNH.

Além de colocar a própria vida e a dos outros em risco por descuidos com a saúde ocular, essas pessoas têm de arcar com o custo de mais de um exame no Detran, além de ficarem um tempo sem poder dirigir.

Os critérios analisados no exame de visão para motoristas

Como vimos, uma boa visão é essencial para dirigir veículos com segurança, mas são várias as condições médicas que podem afetá-la, colocando em risco a vida do motorista, dos passageiros e dos pedestres. Por conta disso, o exame de vista para carteira de motorista precisa ser rigoroso.

Vejamos, a seguir, alguns dos principais critérios estabelecidos e analisados para a emissão da CNH.

1. Visão central

A visão central se refere à imagem que atinge diretamente a mácula (parte da retina) e nos proporciona a riqueza em detalhes. Ela é examinada pelo teste de visão de longe e de perto.

Para as categorias A e B da CNH, é exigida uma visão central igual ou superior a 20/40 (equivalente a 50%) ou 20/30 (66%) no melhor olho, com ou sem lentes corretoras. A mínima deve ser igual ou maior do que 20/25 (80%).

2. Visão periférica

A visão periférica refere-se à capacidade de enxergar objetos à frente e ao redor do campo visual. Formada fora da mácula, na área periférica da retina, essa é uma visão com poucos detalhes — a pessoa percebe a presença dos objetos e movimentos, mas sem nitidez, quase desfocada.

Essa visão é muito importante para o processo de dirigir e andar, principalmente à noite, quando se tem pouca iluminação. Para as categorias A e B, é exigida uma visão periférica de 60º nos dois olhos. Também é aceita uma visão de 120º no melhor olho, com ou sem lentes corretoras.

3. Visão individual de cada olho

A visão monocular (que enxerga com apenas um olho) é uma visão subnormal, que representa uma redução maior ou igual a 25% no tamanho do campo visual. Dessa forma, as pessoas monoculares apresentam uma redução em sua capacidade de se orientar no espaço.

Por esse motivo, os condutores de veículos automotores que possuem visão monocular só podem conduzir os que pertencem às categorias “A” e “B”, já que apresentam maior probabilidade de provocar colisões.

4. Reflexo e ofuscamento

Basicamente, esse critério avalia a capacidade de enxergar em situações com baixa luminosidade, e é muito importante. Para todas as categorias, os candidatos precisam fazer o teste de limiar de visão noturna e reação a ofuscamentos. A pessoa deve enxergar bem com pouca luminosidade e ter uma boa recuperação após um ofuscamento direto.

A importância de fazer exames periodicamente

Outro fator importante a ser considerado é o envelhecimento do indivíduo. Afinal, com o passar do tempo ocorre o envelhecimento do olho, e aparecem as patologias que só conseguem ser descobertas com exames detalhados e periódicos.

Exames que avaliam a acuidade visual para dirigir

Como o Detran não efetua uma avaliação completa da visão, é recomendado manter os seus exames oftalmológicos atualizados, mesmo que o prazo de validade seja de 5 anos. Isso evita surpresas com doenças oculares capazes de reprovar o candidato para renovar a CNH.

Entre os exames que avaliam todos os aspectos importantes sobre a capacidade visual para dirigir, vale destacar os seguintes:

  • mobilidade ocular — avalia o estrabismo, a movimentação dos olhos e a musculatura ocular;
  • acuidade visual — um dos exames mais comuns, é realizado com diferentes tamanhos de letras (teste Snellen), a fim de medir a capacidade dos olhos de enxergar com nitidez.
  • campo visual — detecta o glaucoma e avalia a área espacial alcançada e percebida pelos olhos;
  • visão cromática — além de verificar a função dos olhos em captar e classificar as diferentes cores, esse exame é responsável por identificar alguns tipos de daltonismo;
  • visão estereoscópica — mede a capacidade de enxergar em três dimensões;
  • fundo de olho (mapeamento de retina) — analisa os nervos, artérias e veias da retina, servindo para diagnosticar doenças como o glaucoma, diabetes mellitus e hipertensão.

O custo do exame de visão e carteira de motorista

O custo do exame de vista para renovação da CNH varia de acordo com a região. No Pará, por exemplo, os seguintes valores são cobrados:

  • aptidão física e mental — R$ 96,94;
  • psicotécnico — R$ 129,76;
  • taxa do Detran para a primeira carteira — R$199,00;
  • renovação — R$ 80,91.

Já em São Paulo, os valores são:

  • aptidão física e mental — R$ 84,81;
  • avaliação psicológica — R$ 98,95;
  • taxa de exame teórico — R$ 35,34;
  • taxa de exame prático — R$ 35,34;
  • taxa de emissão da permissão — R$ 42,41.

No Rio de Janeiro, é cobrada uma taxa de serviço de R$ 278,60, referente aos exames médico e psicológico, à legislação de trânsito e direção.

Como vimos, o exame da visão e carteira de motorista são aspectos interdependentes, já que a segurança no trânsito depende essencialmente de uma boa acuidade visual. Nesse sentido, é importante manter os exames oftalmológicos em dia, seja para renovação, seja para obter a primeira CNH.

Então, gostou deste artigo? Agora, aproveite para ler também sobre os 5 principais exames de retina!

Avatar

Prof. Dr. Alexandre Rosa

Formado em Medicina pela Universidade Federal do Pará (UFPA) e doutorado em Oftalmologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Membro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia e da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo. Especialista em doenças da retina e vítreo pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Professor de Oftalmologia da Universidade Federal do Pará.

Deixe um comentário