• Blog
  • Fadiga ocular: você sabe o que é?

Fadiga ocular: você sabe o que é?

homem coçando os olhos

A sensação de olhos secos, irritados, bem como coceira e outros sinais incômodos podem indicar fadiga ocular, um problema recorrente e que tem aumentado, especialmente, devido ao uso excessivo de recursos tecnológicos, como smartphones e computadores. Mas é possível contornar o problema consultando um oftalmologista e sabendoa forma correta de usar colírio.

Como qualquer outro tipo de medicamento, o colírio precisa ser aplicado de maneira correta, caso contrário, ele pode não ter a eficácia esperada ou causar efeitos colaterais. Além disso, a administração incorreta do produto pode agravar algum problema ocular preexistente.

Neste artigo, vamos comentar sobre os principais aspectos da fadiga ocular, seus sintomas, causas, prevenção e como usar colírio para aliviar incômodos, como olho seco, entre outros. Continue lendo para saber mais!

O que é a fadiga ocular?

A fadiga ocular (Astenopia) é o cansaço ocular que ocorre quando mantemos os olhos fixos em algum ponto próximo por longos períodos. Isso acontece quando utilizamos aparelhos que emitem luz azul, como computador, tablet ou celular.

Para conseguir manter a imagem focalizada, os olhos precisam fazer ajustes constantes, que são imperceptíveis para nós. São essas adaptações que fazem com que eles fiquem cansados devido ao esforço da musculatura do globo ocular.

Os sintomas que a fadiga ocular ocasiona são:

  • ardor nos globos oculares;
  • dificuldade de concentração;
  • dor nos olhos, na cabeça, no pescoço, nos ombros e nas costas;
  • olhos vermelhos, irritados, secos ou lacrimejantes;
  • sensibilidade à luz;
  • visão dupla ou embaçada.

A fadiga ocular é muito comum e pode atingir pessoas de todas as idades, pois essa ocorrência possui causas diversas.

Quais são as causas desse problema?

Existem dois grupos de situações que podem ocasionar a fadiga ocular nas pessoas. Um deles tem relação com algumas alterações na saúde ocular, e o outro, com os nossos hábitos, conforme comentamos a seguir.

Saúde dos olhos

A fadiga ocular pode estar relacionada a problemas como: miopia, hipermetropia ou astigmatismo. Nesse caso, os olhos precisam fazer um esforço extra para conseguir manter o foco da visão.

Hábitos

As atividades que desempenhamos no dia a dia também podem causar a fadiga ocular. Tanto para o trabalho quanto para os momentos de lazer, os olhos podem sofrer com o esforço que fazem para focalizar o computador, o tablet, o videogame ou o smartphone.

Os globos oculares também se cansam quando dirigimos demais, nos expomos a muita ou pouca luz, quando fazemos leitura por horas seguidas ou nos envolvemos com atividades que exigem a visão focada em um só ponto.

Como se prevenir da fadiga ocular?

Ao perceber qualquer incômodo que possa caracterizar a fadiga ocular, consulte um oftalmologista para identificar possíveis alterações na visão, como astigmatismo ou miopia. Além disso, acrescente ao tratamento indicado por esse especialista algumas mudanças em seus ambientes e em sua rotina, como:

  • evite utilizar dispositivos eletrônicos por um período muito longo;
  • posicione a tela do computador cerca de 50 a 70 cm longe dos olhos e um pouco abaixo da linha da visão;
  • faça o controle de brilho dos seus aparelhos, seja na configuração ou com filtros na tela;
  • mantenha as telas sempre limpas, para que as manchas não dificultem o foco dos olhos nas imagens;
  • elimine objetos que possam fazer reflexos ou que produzam brilho;
  • desvie o olhar da tela para um ponto distante por 20 segundos a cada 20 minutos;
  •  faça pausas regulares quando precisar fazer um esforço visual prolongado;
  • mantenha o ambiente livre de poeira, umidade e bem ventilado;
  • durma bem, pois é à noite que os olhos recebem nutrientes para se manterem saudáveis.

Além desses cuidados essenciais, é importante fazer consultas regulares com um oftalmologista, manter uma alimentação equilibrada, o organismo hidratado e utilizar o colírio corretamente.

Como usar colírio de maneira adequada?

Os colírios servem para tratar uma grande variedade de doenças oculares, como glaucoma, infecções, olhos secos e alergias. Para alguns casos, a maneira de aplicar o medicamento é fundamental para preservar a visão.

Em geral, tanto as fórmulas com receita controlada quanto as vendidas sem receituário devem ser aplicadas da mesma maneira. Veja, no passo a passo a seguir, os cuidados mais importantes a serem observados:

  • lavar as mãos com água e sabão e secá-las com uma toalha limpa;
  • remover as lentes de contato ou seguir as instruções do oftalmologista caso o colírio seja utilizado para umedecê-las;
  • retirar a tampa do conta-gotas e, sem tocar na ponta, verificar com cuidado se ela tem rachaduras ou algum outro dano;
  • inclinar a cabeça para trás e olhar para cima, focando em algum ponto do teto e deixando os olhos bem abertos;
  • apoiar um ou dois dedos no rosto, com uma distância aproximada de 2,5 cm abaixo do olho;
  • puxar a pele para baixo cuidadosamente para formar um espaço entre a pálpebra inferior e o globo ocular;
  • com a outra mão segurar o frasco do colírio, direcionando a sua ponta para baixo;
  • apoiar a mão na testa para ter mais firmeza;
  • ar a contaminação do medicamento por bactérias e outros microrganismos;
  • apertar o frasco levemente para pingar uma gota dentro da pálpebra inferior;
  • tirar as mãos do rosto, fechar os olhos com cuidado e inclinar a cabeça para baixo por alguns segundos;
  • evitar piscar, para que parte do colírio não escorra antes de ser absorvido.

Uma técnica utilizada para manter o medicamento do colírio o máximo de tempo em contato com o globo ocular é apertar suavemente o canto interno da pálpebra, próximo ao nariz. Isso também ajuda a reduzir o gosto estranho na boca que pode ocorrer após a administração de alguns tipos de medicamentos.

Após a aplicação utilize um lenço de papel limpo para absorver e retirar possíveis resíduos que podem ficar nas pálpebras e no rosto. É importante observar que nunca se deve limpar a ponta do conta-gotas, pois do contrário, o medicamento pode ficar contaminado, aumentando o risco de infecções oculares.

Aplicação de mais de um colírio

Quando há necessidade de aplicar mais de um tipo de colírio, é importante dar uma pausa de pelo menos 5 minutos entre um e outro para garantir que o primeiro seja absorvido completamente. Caso contrário, eles podem escorrer e reduzir o efeito terapêutico, além de provocar prejuízos financeiros.

Para as pessoas que precisam utilizar um colírio medicamentoso e um lubrificante no mesmo olho, é aconselhável aplicar primeiro o que exige receita médica e aguardar 10 minutos para então aplicar as lágrimas artificiais. Isso garante a total absorção do medicamento.

Como vimos, a fadiga ocular é um problema cada vez mais comum devido ao uso excessivo de aparelhos celular, tablets, entre outros. Ela gera vários desconfortos nos olhos e, por isso, é importante se consultar com um oftalmologista. Além disso, é fundamental saber como usar o colírio para que ele proporcione o benefício desejado e mantenha a saúde ocular.

Gostou destas informações? Amplie ainda mais os seus conhecimentos lendo outro artigo que publicamos e aprenda como cuidar da saúde dos olhos com 5 dicas!

Dra. Thais Mendes

Dra. Thais Mendes

Médica Oftalmologista; Especialista em Retina Clínica e Cirúrgica; Aluna de pós-graduação/doutorado UNIFESP-EPM; Retina Research Fellowship (University of California San Francisco 2012-2014); Membro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia e da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo. Fellowship Clínico e Cirúrgico em Retina e Vítreo (Instituto Suel Abujamra 2009-2012); Fellowship de Ultrassom Ocular (Santa Casa de São Paulo 2011-2012).

Participe do grupo exclusivo no telegram sobre doenças visuais.

Quero Participar!
Open chat
Olá...Posso ajudar?