• Blog
  • Especialistas em retina tiram dúvidas sobre uso do laser na oftalmologia

Especialistas em retina tiram dúvidas sobre uso do laser na oftalmologia

Existem muitas dúvidas sobre uso do laser na oftalmologia, principalmente relacionadas à situação em que esse tipo de tratamento é indicado, quais são os seus efeitos para o olho e se há algum risco durante o procedimento.

Para responder todas essas perguntas e falar mais sobre a retinopatia diabética, uma doença que é tratada por meio do laser, o Dr. Alexandre Rosa conduziu uma live com a Dra. Thais Mendes e o Dr. Renato Palácios, todos médicos aqui da RetinaPro. Confira os melhores momentos e tire suas dúvidas sobre esse tratamento da oftalmologia.

O laser é indicado para o tratamento da retinopatia diabética. O que é essa doença e o que ela pode causar no olho?

Dra. Thais: Esse é um tema muito importante, e no dia a dia do consultório fazemos muitas avaliações de pacientes que têm diabetes de longa data e precisam de um exame de fundo de olho para avaliar a retinopatia diabética.

A diabetes afeta vários órgãos, principalmente a parte vascular do organismo, e acaba afetando os olhos, que têm as menores veias e artérias de todo o corpo. Apenas por meio do exame de fundo de olho é possível observar essas alterações em pacientes com diabetes descontrolados de longa data.

Com o mapeamento de retina, é possível encontrar essas alterações vasculares no fundo do olho, que normalmente são vazamentos e microhemorragias.

A retinopatia diabética pode causar essas alterações e, nos casos mais graves, levar a hemorragia dentro do olho. Muitas vezes, o laser acaba sendo necessário nas fases avançadas para conter essa alteração vascular, que pode levar a esses sangramentos.

Costumo dizer para os meus pacientes no consultório que é como uma cauterização dos pontos de vazamento da retina causados pelo diabetes. Infelizmente, o que muito acontece é o paciente falar que começou o tratamento e houve uma piora no caso, mas, na realidade, o laser vai acompanhando a doença e o seu agravamento.

Quando chega ao ponto de precisar recorrer a esse procedimento, significa que a doença já atingiu uma fase mais avançada e que o tratamento não consegue resolver tudo, mas ainda é indicado.

O laser para o tratamento diabetes é chamado de panfotocoagulação. Essa aplicação pode durar entre uma e quatro sessões, dependendo da disponibilidade do paciente no dia. Ela é feita no consultório e não precisa de anestesia com anestesista.

O médico usa um colírio anestésico e relativamente tolerável. As complicações do laser estão relacionadas mais com a parte inflamatória e com as hemorragias da própria diabetes. Por isso, os pacientes com diabetes precisam do acompanhamento frequente, justamente para que quando comecem a fazer esse tratamento, façam forma precoce para evitar sangramentos.

Qual é o efeito colateral do laser? Ele faz mal? Posso ter algum problema por causa desse tratamento?

Dr. Renato: O laser, nesse caso da diabetes, deve ser feito. A gente, enquanto médico, tem que encorajar quando o paciente tem indicação. Esse tratamento da oftamologia é a arma que temos, nessas formas graves, de tentar paralisar a progressão da doença para evoluir para uma forma que precise de cirurgia, o que ocorre em casos mais complexos.

Ele tem alguns efeitos colaterais, dói um pouquinho e às vezes o paciente pode ficar um pouco enjoado no dia da aplicação. Mas, se formos pesar o risco e o benefício, o benefício ganha.

Qual é o futuro do laser na oftalmologia?

Dra. Thais: Eu acredito que o laser é um grande avanço para as patologias da retina. Ter essa opção como armamento para tratar as doenças da retina e prevenir outras doenças é muito bom. Procure fazer exames periódicos e faça o acompanhamento com o exame de fundo de olho e mapeamento da retina, por meio deles é possível diagnosticar precocemente essas alterações.

E, se você já teve algum tipo de alteração, continue fazendo acompanhamento com o seu retinólogo para saber quando é necessário esse procedimento.

Dr. Renato: O laser é o padrão ouro para diversas doenças há muitos anos. Tratamentos novos vão surgindo, mas ele vai ficando porque realmente consegue, em alguns casos, parar a progressão de patologias.

Eu não vejo hoje, no momento, perspectivas de esse tratamento da oftalmologia deixar de ser o indicado, por isso, confie no seu médico, faça acompanhamento regular e, se ele indicar esse procedimento, faça, porque é um tratamento excelente para algumas doenças.

Caso você queira conferir como foi a nossa live e saber mais informações sobre o laser na oftamologia, dê play no vídeo abaixo.

E, se você gostou do conteúdo e quer conferir mais dicas para a saúde ocular e tirar outras dúvidas sobre doenças ou procedimentos da oftamologia, nos siga no Facebook, no Instagram e no YouTube.

Conheça também o nosso novo podcast, o RetinaProdcast. Nele, você terá acesso a mais conversas entre os nossos médicos e saberá mais sobre patologias dos olhos. Ele está disponível no Spotify, Deezer e no Apple Podcast.

Tags:, , , , , , , , , , ,

Trackback do seu site.

Renato Palácios

Renato Palácios

Dr. Renato Palácios possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Pará. Especialista em doenças da retina e vítreo (retinólogo) pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, Instituto da Visão (SP) e Centre Monticelli Paradis d’Ophtalmologie (Marselha, França).

Participe do grupo exclusivo no telegram sobre doenças visuais.

Quero Participar!
Open chat
Olá...Posso ajudar?