• Blog
  • Tremor na pálpebra: qual a causa e como tratar?

Tremor na pálpebra: qual a causa e como tratar?

Tremor na pálpebra: por que acontece e quais os sintomas associados?

Durante uma caminhada ou corrida você já sentiu os seus músculos se movimentarem involuntariamente? Esse tipo de reação é muito comum e se chama espasmo, mas você sabia que ele também pode afetar a região dos olhos causando tremor na pálpebra?

Se estiver pensando que isso incomoda, realmente é verdade. Quando as pálpebras tremem involuntariamente causam um grande desconforto para a pessoa, em especial porque esse sintoma pode durar alguns dias. Entretanto, o que faz com que o organismo reaja dessa forma?

Preparamos este artigo para responder essa pergunta, então, continue lendo e saiba exatamente o que é esse tremor, quais são as suas causas, outros sintomas que podem surgir junto dele, quando é preciso procurar um especialista e como tratar os espasmos.

O que é o tremor na pálpebra?

O tremor na pálpebra se identifica pelos movimentos involuntários que ela realiza, são espasmos musculares que caracterizam o problema denominado mioquimia. O indivíduo não consegue controlar essa movimentação, por isso, causa muito incômodo.

Esses tremores acontecem porque o músculo palpebral, ou orbicular, provoca movimentos muito rápidos com intuito de aumentar a circulação sanguínea na região e também para dissipar o ácido lático. Trata-se de uma condição muito comum que pode acontecer com qualquer pessoa.

Geralmente essas movimentações involuntárias atingem somente um dos olhos e uma pálpebra, sendo a inferior a mais afetada. É incomum que o tremor ocorra nas duas pálpebras e nos dois olhos, embora não seja impossível acontecer.

O que causa o tremor na pálpebra?

Não é preciso se alarmar quando ocorre o tremor na pálpebra, afinal, essa é uma reação natural do organismo quando os olhos estão muito cansados, por exemplo. Os músculos sentem a sobrecarga do esforço, como ocorre com uma câimbra na panturrilha, por exemplo.

Contudo, isso não significa que em todos os casos o tremor na pálpebra é inofensivo. Ele pode ter diversas origens e algumas delas precisam do acompanhamento de um especialista para que não tragam complicações maiores. Em outros casos, é fundamental promover uma mudança de hábitos a fim de evitar recorrências.

A seguir, listamos alguns fatores que estão relacionados com esse problema para que você entenda o que estimula o tremor na pálpebra. Acompanhe!

Estresse

Os olhos também são afetados pelo estresse por causa dos hormônios liberados quando estamos sob essa condição. A adrenalina e o cortisol, por exemplo, impactam a musculatura deixando suas fibras tensas e contraídas, o que também ocorre nas pálpebras, então, surgem os tremores.

Alergias

As alergias causadas por diferentes fatores, como poeira, fumaça e alguns produtos, causam diversas reações no organismo. Uma delas é a produção de uma substância chamada histamina, que pode chegar às pálpebras e estimular as movimentações do músculo.

Fadiga

O cansaço é um grande inimigo nos nossos olhos e leva à manifestação do tremor na pálpebra. Nesse caso, fadiga pode ser desencadeada pelas poucas horas de sono ou por permanecer muito tempo em frente ao computador. As pálpebras ficam enfraquecidas e tremem.

Desidratação

A hidratação é um fator fundamental para garantir o equilíbrio da saúde de todo o nosso organismo e isso não é diferente com os olhos. Quando bebemos pouca água os tecidos desidratam e, no caso das pálpebras, os músculos enfraquecem e sofrem espasmos.

Consumo exagerado de cafeína

O café é uma bebida saborosa e saudável quando consumida com moderação. Isso porque ele é rico em cafeína, uma substância que, quando em excesso no organismo, promove uma estimulação excessiva, além de desidratar o corpo. O mesmo acontece com outras composições estimulantes.

Excesso de tempo em frente ao computador

Ficar em frente ao computador por muito tempo, como dito, causa fadiga ocular, mas também é uma das razões por que o olho fica seco, uma vez que reduzimos a quantidade de piscadas. Contudo, o problema não está somente nesse eletrônico, afinal, mexer no tablet, celular ou jogar videogame pode provocar o mesmo efeito e desencadear tremor na pálpebra.

Quais sintomas surgem junto do tremor?

Nem sempre o tremor se manifesta de forma isolada. Existem alguns casos em que surgem sintomas associados a ele e que aumentam o desconforto do indivíduo. Entretanto, são esses sinais que podem ajudar a identificar as causas do espasmo.

Algumas pessoas percebem a vista embaçada, sentem coceira e sensibilidade à luz. Tudo isso pode ser indício de uma doença ocular preexistente que esteja estimulando o músculo palpebral.

Embora não seja muito comum, os tremores também podem indicar condições mais graves, como um distúrbio na região do cérebro responsável por coordenar os movimentos faciais. Nesse caso, são percebidos sintomas mais intensos, como repuxo no canto da boca e paralisia da face.

Quando procurar um especialista?

A mioquimia pode se manifestar como um fator isolado ocorrendo ocasionalmente e por curto período, mas existem algumas pessoas que percebem esse sintoma durante vários dias, alternando com períodos de melhora do tremor.

Para muitos ao tremor cessa naturalmente, porém, é importante ficar atento a possíveis sintomas que se manifestem simultaneamente, como:

  • fechamento completo da pálpebra durante os espasmos;
  • pálpebra caída;
  • vermelhidão no globo ocular;
  • inchaço da pálpebra;
  • tremor em outras regiões do rosto.

Todas essas condições precisam ser investigadas para verificar se não há uma infecção ou danos nos nervos. Também é importante procurar um oftalmologista caso os tremores durem mais que uma semana.

Como evitar e tratar o tremor na pálpebra?

Para evitar o tremor na pálpebra é válido seguir algumas medidas que garantem a saúde dos seus olhos, como:

  • fazer pausas periódicas nas tarefas que exigem esforço ocular;
  • respeitar o período de descanso;
  • beber bastante água;
  • moderar o consumo de substâncias estimulantes;
  • evitar situações estressantes;
  • ter momentos de lazer;
  • evitar o contato com agentes alergênicos.

Mesmo assim, se o tremor na pálpebra se manifestar não se esqueça de que a automedicação oftalmológica é totalmente contraindicada. Por isso, se você sentir tremor na pálpebra procure não administrar nenhum tipo de colírio em seus olhos, a não ser que você já faça uso dessa medicação com a indicação de um especialista.

As únicas medidas que você pode adotar com segurança são o descanso dos olhos e reservar alguns períodos para relaxar, com o intuito de minimizar o estresse. Se o problema for causado por uma alergia, fazer a higienização dos olhos com soro fisiológico ajuda a reduzir a coceira.

Outra medida eficaz em muitos casos são as massagens suaves na pálpebra afetada pelo espasmo. Tenha muito cuidado ao adotar essa prática para não exercer pressão demais no globo ocular, pois isso poderia causar lesões em suas estruturas, que são extremamente delicadas.

Caso essas ações não sejam suficientes ou se manifestem outros sintomas associados ao tremor na pálpebra, procure um especialista. Além disso, mantenha uma rotina de consultas ao oftalmologista para identificar problemas no início e manter o controle da sua saúde ocular.

Você já sentiu tremor na pálpebra? O que estava causando esse problema? Deixe seu comentário e conte para a gente!

Trackback do seu site.

Avatar

Prof. Dr. Alexandre Rosa

Formado em Medicina pela Universidade Federal do Pará (UFPA) e doutorado em Oftalmologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Membro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia e da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo. Especialista em doenças da retina e vítreo pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Professor de Oftalmologia da Universidade Federal do Pará.

Deixe um comentário