Degeneração lattice: causas, sintomas e tratamentos

Degeneração lattice: causas, sintomas e tratamentos

A degeneração lattice é uma alteração que exige atenção de todos os pacientes, principalmente daqueles que têm altos graus de miopia. Esse problema, assim como o nome sugere, é caracterizado pela degeneração da parte periférica da retina, que é mais frágil.

De acordo com a American Society of Retina Specialists, a enfermidade ocorre em 8% a 10% da população geral e a sua causa não é completamente compreendida. Apesar disso, ela é mais comum em pacientes míopes, como já dito, e também é vista em algumas síndromes raras, como:

  • Stickler;
  • Ehlers-Danlos e
  • Marfan.

Para falar mais sobre a degeneração lattice e outros tipos que ocorrem na periferia da retina, criamos esse artigo. Continue lendo para saber quais são os sintomas, como é feito o diagnóstico e a forma de tratamento.

O que é a degeneração da retina?

A retina é a parte do olho responsável pela formação das imagens. Ela fica na parte posterior e é um tecido fino com diversas terminações nervosas, que transmitem as informações do que foi visto para o cérebro.

Essa estrutura pode ser dividida em partes, sendo elas:

  • central: é composta pela mácula. Essa parte é rica em células responsáveis pela visão das cores e dos detalhes, chamadas de cones, e
  • periferia: é a parte mais afastada da mácula. Ela é composta por bastonetes,  células que são sensíveis em baixa iluminação.

Tanto a parte central quanto a periférica podem sofrer alterações, seja pela existência de doenças que afetam os vasos sanguíneos, como diabetes e hipertensão, ou ainda por questões genéticas e por hábitos.

Neste conteúdo, vamos focar apenas na degeneração periférica da retina, aquela que ocorre na região mais frágil. Nesses casos, o problema acontece quando há a formação de fendas na área. Esse problema conta com diferentes nomes dependendo da área que foi danificada. As mais comuns são:

  • degeneração microcistoide: é a mais comum de todas e afeta mais pacientes na terceira idade;
  • retinosquise: se apresenta como uma elevação bolhosa, ocorrendo nos dois olhos de forma simétrica;
  • degeneração em rastro de lesma: há a formação de placas ou bandas que favorecem o aparecimento de buracos na retina;
  • disseminação pigmentar difusa: é uma degeneração natural da idade, é caracterizada pelo aparecimento de faixas uniformes e pigmentadas.

Saiba mais sobre a degeneração lattice

Além de todos os tipos citados acima, também há a degeneração lattice, uma das mais conhecidas. Ela é caracterizada pelo afinamento da retina ou pela formação de rupturas. De acordo com artigo publicado na revista Arquivos Brasileiros de Oftalmologia, esse problema afeta:

  • 22% dos pacientes sem problema de visão;
  • 37% dos míopes com até 3 graus;
  • 2% dos míopes com grau entre 3 e 8, e
  • 15% dos míopes com mais de 8 graus.

Esse problema ocorre, de forma geral, até os 19 anos. Depois dessa idade, apenas 0,25% dos casos apresenta novas lesões.

Vale ressaltar que não se sabe exatamente a causa, apenas que ocorre a partir da tração do vítreo, a substância que preenche o globo ocular ou pela mudança no olho causada pela miopia.

Sintomas da degeneração lattice

A degeneração lattice nem sempre apresenta sintomas, mas, em alguns casos, pode haver:

  • aparecimento de moscas-volantes;
  • flashes luminosos;
  • perda da intensidade das cores;
  • distorções ou turvação da visão;
  • dificuldade para ver em ambientes escuros.

Saiba mais sobre sintomas relacionados aos problemas de retina no nosso vídeo:

Ao ter esses sintomas, o oftalmologista realizará um exame chamado mapeamento da retina que consegue identificar se há tecidos mais finos ou fendas na periferia dessa estrutura ocular.

Esse problema é sério?

Segundo o artigo publicado na revista Arquivos Brasileiros de Oftalmologia, esse tipo de degeneração retiniana é o mais frequentemente ligado a casos de deslocamento de retina. Quer saber mais sobre esse problema? Então dê play no nosso vídeo e veja uma explicação completa:

Como é feito o tratamento da degeneração lattice?

O tratamento da degeneração lattice dependerá diretamente de cada caso, assim como os sintomas sentidos. Mas, de forma geral, é feita a fotocoagulação, um método que utiliza laser para reforçar a área lesionada, evitando o deslocamento de retina.

Saiba mais sobre a fotocoagulação no nosso vídeo sobre o tema.

Após o procedimento, o paciente deve fazer check-ups regulares para avaliar o seu caso e, se necessário, realizar novamente a fotocoagulação para evitar problemas no futuro.

Ainda ficou com alguma dúvida sobre a degeneração lattice? Entre em contato conosco para falar com um especialista e saber mais sobre esse problema da retina.

E se você gostou do conteúdo e deseja saber mais sobre a saúde ocular, siga-nos no Facebook, no YouTube e no Instagram.

Prof. Dr. Alexandre Rosa

Dr. Alexandre Rosa possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Pará (UFPA/1996) e doutorado em Oftalmologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP/2005). Especialista em doenças da retina e vítreo (retinólogo) pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Membro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia e da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo. Atualmente, é médico preceptor da residência médica do Hospital Universitário Bettina Ferro de Souza, além de ser professor de Oftalmologia da Universidade Federal do Pará (UFPA).

Compartilhar
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Receba nossos conteúdos exclusivos!
Assine a newsletter para se manter atualizado de todas as novidades


Skip to content