• Blog
  • Retinografia: para que serve esse exame?!

Retinografia: para que serve esse exame?!

Retinografia Simples ou Panorâmica: entenda as diferenças!

Durante a consulta oftalmológica de rotina, podem ser detectados sinais de que algo não vai bem com a visão, e o médico poderá pedir novos exames, como a retinografia.

Quando a suspeita é de algum problema na retina, o paciente é encaminhado para o retinólogo, que fará uma avaliação completa e detalhada dessa parte do olho, principalmente por meio de exames específicos, como a retinografia.

No texto de hoje, falaremos sobre as duas modalidades do exame: simples e a panorâmica. Acompanhe para saber mais!

 

Retinografia simples

A retinografia simples ou colorida é um exame de imagem da retina, realizado por meio do aparelho retinógrafo. É um exame indolor que dura apenas alguns minutos. A pessoa se senta em frente ao aparelho e o técnico faz a captação das imagens.

O exame consiste na observação e registro de fotografias da retina, do nervo óptico e do fundo do olho. Ele permite a obtenção de imagens da retina em alta resolução, permitindo uma documentação fotográfica do fundo de olho, que poderá ser usada posteriormente para comparação e análise da evolução de doenças oculares.

É necessária a dilatação da pupila antes do exame, por isso o paciente deve estar acompanhado quando for realizá-lo. O paciente que utiliza lentes de contato deverá retirá-las.

A retinografia é indicada para o diagnóstico e acompanhamento de algumas doenças oftalmológicas que podem afetar a retina e o nervo óptico. Também é importante para o acompanhamento de pessoas com doenças que aumentam o risco de lesão à retina, como diabetes e hipertensão. Permite, ainda, o seguimento de evoluções de doença e o acompanhamento da eficácia de tratamentos.

Retinografia panorâmica

Atualmente, existem aparelhos mais modernos disponíveis, com recursos que possibilitam a captação de imagens panorâmicas, permitindo a realização da retinografia panorâmica. Com ela, é possível ter uma visão mais ampla da retina, permitindo encontrar patologias em um maior campo do globo ocular.

Na fotografia que ilustra este post, podemos observar um exame realizado no mesmo paciente com os dois equipamentos. À direita, temos a fotografia da retinografia simples e à esquerda a da panorâmica.

Essa evolução do exame busca analisar integralmente o fundo de olho e alterações precoces que podem surgir no início de doenças oculares que não são captadas pela retinografia simples. O aparelho possui filtros especiais que permitem a fotodocumentação de diversos campos do globo ocular.

Os exames de retinografia simples e panorâmica podem ser associados a outros exames complementares, como a angiofluoresceinografia ou a tomografia de coerência óptica (OCT) para a definição mais precisa do diagnóstico.

Exames da retina

Diferentes condições de saúde podem afetar a retina e o nervo óptico que, se não tratados precocemente e de maneira correta, poderão acarretar em sequelas na visão ou até mesmo na perda dela. Entre os principais problemas que afetam a retina, podemos citar:

Exames específicos da retina devem ser solicitados quando o médico suspeita que os sintomas visuais são causados por alterações retinianas. Atualmente, existem diversos exames para a avaliação da retina, que permitem sua visualização direta de forma indolor e não invasiva.

Se você gostou de saber sobre a retinografia, aproveite a visita no site e leia também o nosso texto “Exames oftalmológicos essenciais para a saúde ocular” e fique por dentro do assunto!

Retinografia: para que serve esse exame?!
Avalie esta publicação

Tags:

Deixe um comentário