• Blog
  • Derrame ocular: O que é e como tratar?

Derrame ocular: O que é e como tratar?

Um derrame ocular pode ser apenas uma hemorragia superficial no olho, mas pode ser também um sinal de um problema de saúde e, até mesmo, representar prejuízos irreversíveis à saúde ocular.

Dependendo do grau de comprometimento, essa condição pode afetar a retina, levando o paciente a perder o seu campo de visão. O assunto é muito sério, já que, muitas vezes, o derrame ocular é silencioso e invisível a olho nu.

Por isso, é preciso saber identificar os seus sintomas para buscar ajuda profissional o mais breve. Ficou interessado em saber mais sobre o assunto? Continue lendo.

O que é o derrame ocular?

O termo derrame ocular pode ser desconhecido para muita gente, mas ele é fácil de entender a partir de outra doença muito conhecida.

O AVC (Acidente Vascular Cerebral) é uma doença que praticamente todas as pessoas já ouviram falar. Em especial, o hemorrágico é caracterizado por um sangramento dentro do cérebro.

No derrame ocular acontece uma situação semelhante, só que o sangramento ocorre no olho. Isso pode se manifestar de duas formas. Na primeira pelo rompimento dos vasos na parte superficial do olho. Na segunda, a hemorragia se dá dentro dele, afetando a retina.

Dessa forma, existem dois tipos de derrames:

  • o ocular (o sangramento no olho é superficial) e

  • o intraocular (a hemorragia é no interior e é grave).

Como identificar um derrame ocular?

O derrame ocular, chamado também de hemorragia subconjuntival, é o conhecido rompimento de vasinhos que ocorre na superfície do olho. Ele caracteriza-se por um sangramento superficial que geralmente deixa uma mancha vermelha que fica visível na parte branca do olho. Suas causas podem ser:

  • espirro;

  • coçar os olhos,

  • pico de hipertensão e

  • esforço físico exagerado.

Na maioria das vezes, essa condição ocular não apresenta risco e em poucos dias a marca vermelha tende a desaparecer.

Como identificar um derrame intraocular?

O derrame intraocular, como já falamos, é a hemorragia que acontece no interior do órgão. Essa situação é mais preocupante e grave. Esse tipo de hemorragia é invisível a olho nu e também não apresenta sintomas.

Somente exames oftalmológicos  podem identificá-lo. Se não for identificada e devidamente tratada, essa condição ocular pode levar à perda total da visão.

Nesse tipo de derrame ocular, o sangramento envolve tanto a parte do gel que fica dentro do olho, como também a parte que recobre a retina. Essa condição ocular está geralmente associada a uma doença. Entre as principais delas está o diabetes. Além dela, outras condições podem ser fatores de risco, como:

  • traumas oculares profundos;

  • hipertensão;

  • trombose e

  • estenose.

Um estudo alemão publicado no Pubmed revela que 78% dos pacientes que sofrem uma hemorragia ocular apresentam fatores de riscos de doenças cardiovasculares, sendo a estenose a mais significativa.

Quais são os sintomas de um derrame ocular interno?

Como já falamos em aspectos visíveis, esse tipo de derrame não possibilita ser identificado a olho nu. No entanto, como afeta a retina, o paciente começa a perceber um embaçamento da visão.

Dependendo do grau de comprometimento do sangramento no interior do olho, pode haver a perda repentina da visão. Quando isso acontece, o médico deve ser procurado imediatamente.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, mais de um bilhão de pessoas vive com uma deficiência visual por não ter recebido o devido diagnóstico e tratamento adequado. Por isso, ao perceber deficiência ou perda na visão, um oftalmologista deve ser procurado imediatamente.

Como é o diagnóstico e tratamento?

O diagnóstico do derrame ocular é realizado através do mapeamento da retina. Para isso, o especialista vai dilatar a pupila para realizar o exame de fundo de olho. Esse procedimento possibilita a identificação e localização da hemorragia, bem como permite entender o estado de comprometimento da retina.

Também serão realizados exames de imagens, como a angiofluoresceinografia e a tomografia de coerência óptica, entre outros. Eles irão ajudar na avaliação geral da hemorragia, a entender a sua causa e as possibilidades de tratamento.

Qual é o tratamento para o derrame ocular?

O tratamento envolve a causa. Se o derrame ocular foi originado a partir de uma hipertensão, por exemplo, a pressão alta do paciente deve ser controlada. O mesmo acontece com o diabetes.

Além disso, a condição ocular será tratada com aplicação de medicações no interior dos olhos com substâncias antiangiogênicas. Isso irá reduzir a formação de novos vasos.

Existem casos de derrame intraocular que o paciente sofre perda total de oxigênio na retina. Quando isso acontece, poderá ficar com sequelas no seu campo de visão. Por isso, é essencial que faça o devido tratamento e cuide para que a condição não evolua para o glaucoma.

Ao perceber qualquer alteração nos olhos, é fundamental procurar um médico oftalmologista quanto antes. Além disso, visitas periódicas são essenciais para a prevenção e o cuidado da saúde ocular.

Todas essas informações e muito mais estão na nossa live. Assista ao bate-papo entre o Dr. Alexandre Rosa, a Dra. Thaís Mendes, especialistas membros da equipe RetinaPro, e professor Galdino Ribeiro falando sobre o derrame ocular:

Tags:, , , , , ,

Trackback do seu site.

Avatar

Prof. Dr. Alexandre Rosa

Formado em Medicina pela Universidade Federal do Pará (UFPA) e doutorado em Oftalmologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Membro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia e da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo. Especialista em doenças da retina e vítreo pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Professor de Oftalmologia da Universidade Federal do Pará.

Participe do grupo exclusivo no telegram sobre doenças visuais.

Quero Participar!
Open chat
Olá...Posso ajudar?