• Blog
  • Membrana Epirretiniana tem tratamento?

Membrana Epirretiniana tem tratamento?

Membrana Epirretiniana tem tratamento?

retina é uma das principais estruturas do olho. Sua função é transformar os estímulos luminosos que chegam pela visão em estímulos nervosos que, por sua vez, são enviados ao cérebro. As doenças que acometem a retina têm diferentes causas, podendo comprometer a visão e, em casos mais graves, levar à sua perda.

Uma das doenças que acometem a retina é a membrana epirretiniana, que tem grande impacto na visão e na qualidade de vida da pessoa que desenvolve o problema, sendo prevalente sobretudo na população acima dos 50 anos.

Continue a leitura deste artigo e entenda melhor as causas da doença e como tratá-la de forma adequada.

O que é a membrana epirretiniana?

O avanço natural da idade pode comprometer a visão. Muitas pessoas acreditam que isso é um processo natural e, por isso, nem chegam a procurar avaliação médica. No entanto, qualquer dificuldade de visão requer a avaliação de um especialista, visto que grande parte dos problemas de visão tem tratamento — sobretudo quando detectados precocemente.

Esse é o caso da membrana epirretiniana, que é facilmente detectada e com grandes chances de cura.

A membrana epirretiniana ocorre após o descolamento do vítreo posterior, quando formam-se microfissuras na retina (a parte transparente e sensível a luz, que se localiza na parte posterior do olho), levando à formação de uma fina camada de tecido cicatricial na sua superfície.

O crescimento desta membrana causa enrugamento e deformação da retina subjacente, provocando alterações na mácula (parte da retina responsável pela visão central).

Na maioria dos casos, o problema é considerado benigno e assintomático. Quando há sintomas, a queixa mais comum neste tipo de doença é o embaçamento e a percepção de distorção nas imagens (metamorfopsia), causando grande desconforto visual.

A membrana epirretiniana é classificada de acordo com o nível de distorção da retina causado pelo problema:

  • Grau 0 (maculopatia em celofane): é o estágio inicial da doença, no qual há a presença de membrana transparente e o quadro costuma ser assintomático. Observa-se apenas um reflexo brilhante no polo posterior, que lembra bastante papel celofane. Nessa fase não há alteração na morfologia dos casos, os pacientes geralmente não sentem os sintomas;
  • Grau 1: enrugamento da membrana limitante interna da retina e da retina neurossensorial, com início da distorção. Dependendo da área que atinge, pode causar visão borrada e distorção das formas. Os vasos papilo-maculares podem apresentar estiramento;
  • Grau 2: O avanço da doença com provoca tortuosidade vascular e distorção de toda extensão da retina chamado “pucker” macular. Pode haver edema macular associado. As membranas estão espessas e pode ocasionar até mesmo a formação de buracos maculares.

Fotografia do fundo de olho mostrando o enrugamento da retina causado pela membrana epiretiniana.

Fotografia do fundo de olho mostrando o enrugamento da retina causado pela membrana epiretiniana.

Quando o problema se manifesta?

Como falamos acima, normalmente se manifesta para o paciente a partir do grau 1 da doença. Nos casos mais brandos, ele será identificado apenas nos exames de imagem ou na avaliação de fundo de olho realizada nos exames de rotina.

É muito comum que o paciente se sinta surpreendido com o diagnóstico, já que ainda não apresentava qualquer tipo de alteração na visão que pudesse despertar desconfiança na pessoa. Por isso, os exames regulares de controle são essenciais para a identificação do problema em seus estágios iniciais.

Nos graus mais graves, ele pode apresentar sintomas como:

  • progressiva perda visual central;
  • imagens distorcidas, principalmente das linhas retas;
  • visão dupla;
  • macropsia (percepção de que os objetos são maiores do que realmente são);
  • fotopsia (paciente enxerga fagulhas ou pequenos raios no campo de visão).

Quais os sinais de alerta para o problema?

Um dos principais alertas para a possibilidade de surgimento da membrana epirretiniana é uma visão constantemente turva ou distorcida. Em muitos casos, as linhas retas passam a se apresentar onduladas/ distorcidas. Muitas pessoas descrevem a sensação como se estivessem observando o mundo por meio de um pedaço de plástico ou papel celofane.

A presença de alguns problemas de saúde anteriores pode colaborar para o problema, de forma que, caso você tenha algum deles, é importante ficar atento para verificar se a membrana epirretininana não está surgindo. São eles:

  • miopia;
  • descolamento da retina;
  • uveíte;
  • retinopatia diabética.
  • trauma ocular
  • cirurgias oculares
  • fotocoagulação a laser.

Habitualmente, o problema se apresenta em apenas um dos olhos (membrana epirretiniana unilateral), sendo que apenas 10% a 20% dos casos são bilaterais. Não há um gênero que tenha predominância, aparecendo em igual proporção tanto em homens quanto em mulheres.

Quais as causas do problema?

A membrana epirretiana pode ser idiopática (sem causa definida) ou surgir secundária à alguma outra doença. As principais doenças que levam ao seu surgimento são: descolamento de vítreo posterior, inflamações intra-oculares assim como após alguns procedimentos oftalmológicos como fotocoagulação a laser na retinopatia diabética, cirurgias oculares em geral e roturas retinianas.

Acredita-se que a membrana epirretiniana surge após microlesões que ocorrem na superfície da retina, ao nível da membrana limitante interna. O organismo entende que houve uma lesão no local e desencadeia um processo de cicatrização, o que ocasiona a formação de um tecido cicatricial na superfície da retina.

Além disso, alguns grupos têm maior risco de desenvolver a doença, como:

  • pessoas que sofreram traumas oculares;
  • pessoas que tiveram descolamento do vítreo posterior;
  • idade maior que 60 anos;
  • indivíduos que fizeram procedimentos oculares clínico-cirúrgicos (fotocoagulação, crioterapia, cirurgia de catarata).

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico é feito por meio da avaliação oftalmológica e exames da retina e da mácula, especialmente pelo retinólogo.

Os exames mais comuns são a biomicroscopia de fundo, o mapeamento de retina, angiografia com fluoresceína e a tomografia de coerência óptica (OCT). Em geral, são rápidos e não invasivos.

A angiografia com fluoresceína pode ser mais útil nas situações em que a doença se manifesta de forma secundária — ou seja, após o surgimento de outros problemas, incluindo oclusões vasculares retinianas ou tumores intra-oculares.

A biomicroscopia de fundo permite a inspeção das estruturas do segmento posterior do olho e é feita no próprio consultório. O mapeamento da retina permite a visualização de vasos retinianos distorcidos e a perda do brilho natural macular, enquanto a OCT determina a extensão da doença e o grau de comprometimento anatômico da retina.

 

Percepção de distorção das formas (metamorfopsia) na tela de amsler.

 

 

Quais os tratamentos disponíveis?

O acompanhamento de indivíduos com poucos sintomas e boa acuidade visual pode ser feito clinicamente, com a realização periódica de exames para a avaliação da retina. Normalmente, a maioria das pessoas se encaixa nesse padrão e não precisa de tratamento específico, apenas o acompanhamento.

Quando necessário, o tratamento é feito por meio de uma cirurgia chamada de vitrectomia, que é uma das principais formas de tratamento das doenças da retina. A indicação da cirurgia é baseada na acuidade visual do olho afetado, duração dos sintomas, presença de outros problemas oculares e necessidade visual do paciente (de acordo com seus hábitos e profissão).

No procedimento, o corpo vítreo (gel que preenche a porção posterior do globo ocular) é removido e, em seguida, é feita a excisão cirúrgica do tecido cicatricial que está recobrindo a mácula (um procedimento chamado de peeling de mácula).

A cirurgia é realizada com anestesia local. O paciente não precisa ficar internado, podendo ir para casa no mesmo dia. Existem diferentes técnicas para a realização da cirurgia, escolhidas de acordo com a situação específica do paciente.

Em alguns casos, pode ser que a catarata apareça depois da vitrectomia. Por isso (e por também ser recorrente em pacientes em faixas etárias mais avançadas), é possível que sejam realizadas as duas cirurgias no mesmo procedimento ou a cirurgia de catarara isoladamente.

Qual o prognóstico?

Após a cirurgia, a visão pode demorar algumas semanas para se recuperar. O prognóstico após o procedimento depende da acuidade visual antes da cirurgia, o tempo de evolução da doença e a presença ou não de edema macular.

O paciente deverá realizar consultas com o médico especialista com uma periodicidade de 3 a 6 meses, para monitoramento dos sintomas e acompanhamento da recuperação da visão.

Assim, não só é fundamental fazer o diagnóstico da membrana epiretiniana o quanto antes, como procurar um retinólogo de confiança para realizar o tratamento e acompanhamento após a cirurgia.

A membrana epirretiniana é uma deformação que afeta a região da retina. Apesar de ser uma componente fundamental da visão, não é a única parte dos olhos que merece atenção. Por isso, é fundamental que você saiba quais são as demais partes que o compõem, suas funções e seus principais problemas. Leia nosso artigo sobre o assunto e saiba mais!

Quer saber sobre outros problemas na visão e os mais modernos tratamentos disponíveis? Siga a RetinaPro nas redes sociais! Estamos no Facebook, Instagram, Twitter, Google+, LinkedIn e YouTube.

 

Dra. Thais Mendes

Dra. Thais Mendes

Médica Oftalmologista; Especialista em Retina Clínica e Cirúrgica; Aluna de pós-graduação/doutorado UNIFESP-EPM; Retina Research Fellowship (University of California San Francisco 2012-2014); Membro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia e da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo. Fellowship Clínico e Cirúrgico em Retina e Vítreo (Instituto Suel Abujamra 2009-2012); Fellowship de Ultrassom Ocular (Santa Casa de São Paulo 2011-2012).

Comentários (24)

  • Avatar

    Ana Maria Ragazzi Bonassa

    |

    Oi Maria Rosa.Fui diagnosticada com membrana epirretiniana no olho direito e fiz uma cirurgia de vitrectomia a dois meses,mas a minha visão central ficou muito pior, com falhas que dificultam a visão da fisionomia das pessoas e letras. Há algum tratamento para melhorar minha visão? Há alguma lente que pode ajudar? Obrigada pela atenção,

    Reply

    • Avatar

      Prof. Dr. Alexandre Rosa

      |

      Ola Ana Maria, obrigado pelo contato.Algumas respostas ficam um pouco dificeis de responder sem conhecer de perto o caso. No seu caso, é melhor você conversar sobre isso com o seu médico retinologo após os exames de retina, o ideal é que você faça uma OCT. Atenciosamente,

      Reply

  • Avatar

    Susana

    |

    Boa noite, meu pai fez a cirurgia da catarata, mas sua visão está embaçada e deformada. Passamos no médico, que indica que seja membrana epirretiniana, mas faremos os exames para ter certeza. Existe algum tratamento de injecao com medicamento para o local,( injeta no olho)? Pois o medico comentou sobre isso. Que o último caso seria a cirurgia.

    Reply

    • Avatar

      Prof. Dr. Alexandre Rosa

      |

      Ola Suzana, obrigado pelo contato, depende do estágio em que se encontra a membrana. Lesões maiores só são possíveis de serem corrigidas com cirurgia mesmo, Atenciosamente,

      Reply

  • Avatar

    Ana

    |

    Boa tarde, tenho uma membrana no olho esquerdo fiz o OCT e o retilógo indicou cirurgia, no entanto por ser um procedimento caro e por estar no fim da minha graduação não estou com condições para realizar nesse momento. Gostaria de saber o quanto posso adiar a cirurgia? Sei que o quanto mais eu venha a demorar menores são as chances de voltar a ter uma visão normal. Nisso tenho mais uma dúvida. Qual a probabilidade de perda total da visão? tenho 80% da visão normal desse olho.

    Reply

    • Avatar

      Prof. Dr. Alexandre Rosa

      |

      Ola Ana, o ideal é que você pelo menos faça exames regulares para avaliar a progressão (ou não) da doença. A membrana epiretiniana não costuma levar a perda total da visão, afeta sobretudo a visão de leitura. Atenciosamente,

      Reply

  • Avatar

    luiz fernando de caro

    |

    boa noite. tenho membrana epirretiniana no olho esquerdo , tenho que fazer cirurgia ou ela ira se estabelizar ou continuara crecendo fazendo perder totalmente a visao.

    Reply

    • Avatar

      Dr. Alexandre Rosa

      |

      Ola Luiz, vai depender do tamanho da membrana e do nível que está a sua visão..uma avaliação com medico de retina poderá elucidar isso..att

      Reply

  • Avatar

    José Arodi Fritz

    |

    Realizei por vontade do médico uma cirurgia desnecessária de catarata do olho esquerdo, resultando no deslocamento da retina. Fiquei com problema de visão e foi realizado uma cirurgia “Refrativa”. Estou icom a visão embaçada e sensibilidade a “Luz Solar”. Não encontrei solução por parte dos médicos.

    Reply

    • Avatar

      RetinaPro

      |

      Ola José, Obrigado pelo contato. Realmente, doenças da retina costumam serem bastante graves. Mas procure uma 2a opinião, as vezes pode ajudar. Caso queira estamos a disposição. att RetinaPro

      Reply

  • Avatar

    Ana Filipa

    |

    O único tratamento e o mais adequado para quem tem uma perda significativa de visão,é a vitrectomia,ou seja cirurgia ou existem outros?

    Reply

    • Avatar

      RetinaPro

      |

      Ola Ana, obrigado pelo contato. Atualmente, a única opção terapêutica para a membrana epiretinaiana é a cirurgia de vitrectomia, mesmo. Atenciosamente, Equipe RetinaPro (Dr Alexandre, Dr Edmundo e Dra Thais).

      Reply

  • Avatar

    Rosângela Pinto de Lima

    |

    Tenho uma filha de 05 anos que é nanoftalmo, uma alta hipermetropia grau 19. Ela é visão sub normal com um endema macular em ambos os olhos, fez intra vitreo lucents mas não teve evoluçao no quadro.
    O médico disse que é só acompanhar.
    Então. Ela corre risco de perder a visão por conta disso?
    Qual a possibilidade de aumentar?
    Qual a causa. Já que só acontesse com pessoas idosas?

    Reply

    • Avatar

      RetinaPro

      |

      Oi Rosangela, obrigado pelo contato..Seu questionamento é um pouco difícil de responder sem conhecer melhor o caso e ter visto os exames. O ideal é que você agende uma consulta com um especialista em doenças da retina para dirimir todas essas questões. Atenciosamente, Equipe RetinaPro (Dr Alexandre, Dr Edmundo e Dra Thais).

      Reply

  • Avatar

    Cristiane

    |

    Boa tarde, fui diagnosticada com um buraco na retina e membrana epirretiniana no olho esquerdo, há 2 anos. Fiz exames de OCT e foi realizado laser para correção do buraco. Sinto que a minha visão no olho esquerdo está piorando, pois a membrada deve estar crescendo. Tem tratamento, sem riscos, que pode ser realizado logo, ou a cirurgia é indicada somente se comprometer muito a visão? Qual procedimento pode ser realizado sem agravar a membrana?

    Reply

    • Avatar

      RetinaPro

      |

      Ola Cristiane, obrigado pelo contato, em geral a cirurgia é indicada quando há compromentimento visual ou presença de danos na retina no exame de oct. Atenciosamente, Equipe RetinaPro.

      Reply

  • Avatar

    Oscar Lins Filho

    |

    Tive um descolamento de retina há 10 meses, fiz a vitrectomia com colocação do gás. Após 30 dias, ocorreu um novo descolamento. Desta vez, foi colocado o óleo de silicone. Fiquei com este óleo por 5 meses e fiz a retirada do óleo, porém apareceu a tal membrana epirretiniana. Estou há 3 meses aguardando a evolução. Será q tenho que reoperar?

    Reply

    • Avatar

      RetinaPro

      |

      Ola Oscar, obrigado pelo contato. A necessidade de cirurgia vai depender da gravidade da membrana epiretiniana, alguns casos pode ser necessária a remoção cirúrgica da mesma, mas também há situações onde é ela é bem pequena e não ha necessidade de intervenção. Tudo vai depender do aspecto da doença no exame de OCT. Leia um poucos mais sobre este exame neste post: http://retinapro.com.br/blog/tomografia-de-coerencia-optica-para-que-serve/

      Atenciosamente,
      Equipe RetinaPro.

      Reply

    • Avatar

      Laís

      |

      Passei pelos mesmos problemas que o Oscar. Operei o olho em setembro e depois em outubro/2018 por motivo de descolamentos. coloquei oleo que tirei em março deste ano. Junto tb fiz a cirurgia da catarata, que se desenvolvel por causa das cirurgias do descolamento. hoje estou com a visão central desta vista muito embaçada, não enxergo detalhes e letras. Já fiz laser 2 vezes para limpar a lente da catarata e estou usando colírio antiflamatório. No último exame de tomografia deu “espessamento da membrana limitante posterior” com a conclusão de “membrana epirretiniana pré papilar” e “área macular dentro da normalidade”. Será que tenho que retirar essa membrana?

      Reply

      • Avatar

        Prof. Dr. Alexandre Rosa

        |

        Oi lais, obrigado pelo contato. As vezes, pode ser necessário remover, mas vai depender se há ainda tecido a ser removido, converse com seu retinologo a respeito, para que ele possa ver com você sobre o prognóstico e se vale a pena mexer. Atenciosamente,

        Reply

  • Avatar

    Luana Moraes

    |

    Olá,
    tenho no olho direito uma leve distorção das letras e formas… só percebo isso quando fecho o olho esquerdo. A letra parece que se comprime e eu acabo conseguindo ler, mas parece que falta uma sílaba. Já fui no oftalmo, este me encaminhou à retinóloga, fiz exames com ela e apareceram apenas “pontos” (flocos, névoa) inespecíficos… se não me engano na mácula. ela falou que era só pra monitorar a visão, poderia ser algo que eu sempre tive… o que vc me sugere? devo procurar outro médico, tenho 27 anos e tenho medo disso piorar.

    Reply

  • Avatar

    maria Rosa Pardal Pêgas

    |

    O descolamento vítreo tem a ver com a membrana epirretiniana ou são coisas diferentes?

    Reply

    • Avatar

      RetinaPro

      |

      Oi Maria Rosa…obg pelo comentário, excelente a sua pergunta. Em geral, a membrana epiretiniana ocorre após o indivíduo ter tido um descolamento do vitreo, ou seja, ela pode ocorrer como uma complicação do descolamento, pois nem todos os que tem descolamento terão membrana…espero ter ajudado… Att Equipe RetinaPro.

      Reply

Deixe um comentário