• Blog
  • Ceratite: Saiba o que é, quais são os sintomas e tratamentos dessa doença

Ceratite: Saiba o que é, quais são os sintomas e tratamentos dessa doença

Ceratite: Saiba o que é, quais são os sintomas e tratamentos dessa doença

A ceratite é uma inflamação ou irritação de uma camada da córnea (epitélio), a parte mais externa do olho que cobre a íris e a pupila. Entre as causas mais comuns encontram-se as infecções e as lesões.

Neste artigo, vamos esclarecer as principais dúvidas sobre a ceratite, respondendo questões sobre causas, sintomas, diagnóstico e tratamento da doença. Continue a leitura para saber mais!

Quais são as causas da ceratite?

As causas mais comuns da ceratite são irritações oculares por poluição ou produtos químicos, disfunções do filme lacrimal e olho seco. Além disso, o contato de água contaminada (oceanos, rios e lagos) com os olhos também pode provocar uma ceratite infecciosa.

Outra causa frequente é o uso incorreto de lentes de contato. Os fungos, bactérias ou parasitas podem se fixar na superfície das lentes ou em seu estojo. Além disso, a utilização prolongada das lentes pode levar à ceratite devido ao trauma excessivo na superfície da córnea, causando lesões que a fragilizam e abrem espaço para o alojamento de microrganismos.

Os principais tipos de ceratite podem ser causados por bactérias (ceratite bacteriana), vírus (ceratite viral), fungos (ceratite fúngica) ou parasitas . Veja a seguir as características de cada um.

Ceratite bacteriana

Em geral, as bactérias responsáveis pela ceratite são os Staphylococcus aureus, e para quem usa lentes de contato, são os Pseudomonas aeruginosa. A ceratite bacteriana também pode ter outras causas, como:

  • baixa imunidade, causada por alcoolismo, diabetes ou má nutrição;
  • doença recente da córnea;
  • trauma ou ferimento;
  • uso de medicamento ocular contaminado;
  • utilização de esteroides tópicos.

Ceratite viral (herpética)

É uma infecção causada pelo vírus herpes simples (HSV). Há dois tipos principais de vírus que podem afetar os olhos pelo contato das mãos infectadas: o tipo I (mais comum) infecta principalmente a região do rosto, provocando a conhecida úlcera do herpes labial. Já o tipo II é a forma de herpes transmitida sexualmente, que infecta os órgãos genitais.

Ceratite fúngica

Trata-se de uma infecção causada por um tipo de ameba (organismo unicelular) microscópica e de vida livre, que se alojam em água (lagos e oceanos), solo e ar. Conhecida como Acanthamoeba, esse microrganismo causa a ceratite quando entra em contato com a córnea, causando infecção.

Quais sãos os principais sintomas da ceratite?

Os sintomas podem variar dependendo do tipo de ceratite que se instala. Em geral, os sinais mais comuns são:

Como é feito o diagnóstico?

Para um diagnóstico preciso, o oftalmologista faz uma raspagem superficial na córnea para retirar uma pequena amostra de material com o objetivo de identificar o tipo de ceratite e a gravidade da infecção e lesão.

Quais são os tratamentos?

Os tratamentos para a ceratite ocular dependem das causas identificadas, assim como da gravidade das lesões na córnea. Em geral, a ceratite bacteriana é tratada com a aplicação local de medicamentos antibióticos e pode exigir acompanhamento. Além disso, pode haver a necessidade de administração de uma medicação esteroide, aplicada sobre o olho em forma de colírio.

Como prevenir a ceratite?

Para prevenir o desenvolvimento da ceratite é fundamental proteger a região ocular contra contaminações. Nesse sentido, a higiene constante das mãos é essencial, assim como manipular, armazenar e limpar as lentes de contato de maneira segura e correta.

Além disso, é preciso considerar que a visão pode ser preservada quando a ceratite bacteriana é diagnosticada e tratada precocemente, pois em casos graves, ou se a infecção afetar o centro da córnea, pode ocorrer uma diminuição na capacidade de enxergar ou até causar a cegueira. Nesse caso, é necessário fazer um transplante de córnea para restaurar a visão.

Como vimos, a ceratite é provocada por bactérias, vírus ou fungos, e quando não tratada em tempo hábil pode levar à perda da visão. Por isso, é fundamental adotar medidas de prevenção e se consultar com um oftalmologista aos primeiros sinais.

Gostou de saber sobre a ceratite? Saiba mais sobre os problemas que afetam a visão acessando outros materiais educativos que disponibilizamos em nosso blog!

Avatar

Prof. Dr. Alexandre Rosa

Formado em Medicina pela Universidade Federal do Pará (UFPA) e doutorado em Oftalmologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Membro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia e da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo. Especialista em doenças da retina e vítreo pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Professor de Oftalmologia da Universidade Federal do Pará.

Participe do grupo exclusivo no telegram sobre doenças visuais.

Quero Participar!
Open chat
Olá...Posso ajudar?